Resenha: Carrie, A Estranha - Stephen King




Oi oi gente, como vocês estão? Espero que o fim de semana de vocês tenha sido tão bom quanto o meu. E para melhorar o comecinho da semana eu trouxe a resenha de uma das obras mais consagradas do mestre Stephen King.
Carrie, a Estranha, foi o primeiro livro de Stephen a ser publicado, e na verdade nem deveria existir. Stephen foi desafiado a escrever uma história onde uma mulher fosse sua principal personagem, ele aceitou o desafio, mas depois de alguns capítulo ele acabou desistindo do livro e jogou tudo o que havia escrito no lixo. Pra nossa felicidade, Tabitha KIng a primeira dama do terror, achou o original no lixo e gostou, e disse que ajudaria King a terminar a história e assim o fez.
Stephen se inspirou em duas meninas que fizeram parte de sua infância. Uma delas sempre ia pra escola com roupas consideradas estranhas, enquanto a outra tinha uma mãe extremamente religiosa, e foi assim que nasceu a história de Carrietta White, a famosa Carrie, a Estranha.

"Sabemos que Carrie era vitima do fanatismo religioso da mãe. Sabemos que possuía um talento telecinético latente, chamado vulgarmente de TC."

Aos 16 anos Carrietta White tem sua primeira menstruação, algo que é normal para uma garota, mas não em uma idade tão tardia como a de Carrie. Ela não sabia o que era menstruação nem nunca tinha ouvido falar a respeito e tratou o evento como uma hemorragia que causaria sua morte. As meninas do colégio onde Carrie estudava sempre a tratavam como o bode expiatório da turma, e no dia do ocorrido não foi diferente, Carrie correu para pedir ajuda e as meninas que fizeram 'brincadeiras' com isso e jogaram absorventes internos nela e gritavam: Arrolha! Arrolha! Arrolha! E isso fez com que Carrie desenvolvesse e controlasse seus poderes de telecinesia ou TC.
Sempre acontecia algo no lugar onde Carrie estava coisas estranhas, como: uma lâmpada estourar, um cinzeiro se estilhaçar no chão ou objetos que levitavam por um momento.
Carrie passou dias sem ir para o colégio por causa da sua menstruação já que foi tratada como motivo de chacota por Chris e Sue (Chris sempre implicava com Carrie, já Sue só em breves momentos). Sue acabou se arrependendo pelo momento em que jogou absorventes em Carrie e pediu para o namorado (Tommy) levar Carrie ao baile, e Tommy fez o que ela pediu.
Na noite do baile, Carrie foi banhada de sangue junto com Tommy no momento da coroação de rei e rainha do baile, como resultado de mais uma das brincadeiras de Chris e seu namorado. Carrie não suportou o que aconteceu a ela, e por vingança levasse todos para o túmulo com ela, para ser mais exata 458 pessoas da cidade de Chamberlain.
 O livro pode parecer confuso às vezes, mas na verdade isso acontece porque nele sempre tem partes de documentários do Caso Carrie Withe, ou trechos de livros e até mesmo entrevistas com os sobreviventes.

Share this:

Um comentário :

  1. Olááá Angélica *-* tudo bem? Eu super gostei desse livro. Achei tudo muito absurdo kk mas gostei sim :D Acho que a Carrie, no fim das coisas era a maior vítima :/
    Então *-* eu recebi seus marcadores e amei, saiba que já providenciei algumas coisinhas pra você *-* em breve chega kk e por incrível que pareça, enviei um marcador desse livro kkk e eu nem sabia que você estava lendo :P
    Amei a resenha, beijos

    ResponderExcluir

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes