Resenha | O Reino das Vozes Que Não Se Calam - Carolina Munhóz & Sophia Abraão

Recentemente Carolina Munhóz lançou mais um livro, e senti que realmente tinha chegado a hora de ler o primeiro que estava na minha lista a bastante tempo. E apesar de eu não estar participando da MLI2015 acabei cumprindo um desafio, afinal a primeira semana é a semana da fantasia.

O Reino das Vozes Que Não Se Calam me surpreendeu do início ao fim, sem falar da montanha russa de sentimentos na qual ele me colocou. Em certos momentos eu estava sorrindo e em outros extremamente desesperada pra saber o que iria acontecer enquanto lágrimas ameaçavam sair de meus olhos.

Sophie é uma garota que é considerada "fora do padrão" estético na sua escola. Magra demais, branca demais, estranha demais. Mas apesar de tudo isso ela nunca havia realmente se incomodado com sua aparência, e sempre se vestia da forma que se sentia confortável. Moletom, uma calça simples e tênis que muitos consideram masculinos para uma garota.

"Desde a primeira vez que a vira, sabia que ela era como um passarinho com asas quebradas. Não queria consertá-las. Mas gostaria de tentar encorajá-la a se curar e voar"

Sua melhor amiga Anna é a garota mais popular da escola, e Sophie sempre se escondeu a sua sombra, até o dia que Anna ofereceu favores a um garoto pra que ele ficasse com Sophie. Isso destruiu não só a amizade das duas, como acabou despedaçando o coração de Sophie.

Na noite da festa que resulta no rompimento dessa amizade, Sophie viaja pela primeira vez até o Reino que não tem nome, mas onde as flores cantam e os animais falam, o reino das vozes que não se calam. Lá ela descobre que é herdeira do trono das flores, mas que para assumir seu lugar no trono ela precisa enfrentar três etapas no mundo humano.

"Somos apenas duas almas perdidas. Mas ao menos estamos perdidos juntos"

Sempre me coloco no lugar dos personagens, pra mim isso é tão essencial quanto inevitável, mas em relação a Sophie foi tudo tão complexo, e minha experiência com ela foi tão grande que meu coração á sente a dor só de lembra o quanto ela sofreu.

Todos nós temos nossos medos e nossas frustrações, da mesma forma como cada um de nós tem uma forma de lhe dar com tudo isso. Sophie queria muito viver em um reino onde todos a amavam e ansiavam sua presença, e esqueceu que na terra dos humanos ainda existiam pessoas que a amavam. E é exatamente isso que ela vai nos mostrar nessa história, o quanto esquecemos de algumas pessoas apenas por pensar unicamente em nossas tristezas.

"Ninguém pode fazer outra pessoa feliz. Nós precisamos encontrar a nossa própria felicidade"

Share this:

Um comentário :

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes