Crítica | A Escolha Perfeita 1 & 2






No primeiro filme de A Escolha Perfeita conhecemos Beca, uma Dj que sonha em trabalhar com música mas que foi obrigada pelo seu pai a fazer faculdade. Ao chegar ao campus ela começa a caminhar em busca de conhecer as fraternidades, é  nesse momento que ela tem o primeiro contato com as Barden Bellas.

Barden Bellas é um grupo de acapela composto apenas por mulheres que estão tentando se redimir pela grande vergonha que passaram na final do último campeonato. Apesar de não querer fazer parte das Barden Bellas ela acaba sendo convencida a fazer ao menos a audição para participar, e como essa é a única forma de fazer música na faculdade ela faz a audição.



No começo já percebemos que a entrada de Beca no grupo não será bem aceita pela atual líder das Bellas. Aubrey não consegue aceitar que as músicas cantadas por elas estão ultrapassadas, ignorando todas as tentativas de Beca para melhorar o repertório das Bellas.

Mas tudo vai mudar quando Aubrey descobrir que precisa mais do que nunca da ajuda de Aubrey para vencer o campeonato nacional. Juntas elas vão ensaiar até o último minuto para vencer os adorados do público, os Treblemakers, que são os atuais campeões.


Neste segundo filme as Bellas estão com uma personalidade formada e prontas para qualquer desafio que apareça, o problema é que a ousadia delas no palco acaba em um grande vexame, e elas são retiradas de todas as apresentações que iriam fazer pelo país. Mas elas ainda tem um pouco de esperança quando a direção da universidade dizem que elas podem voltar caso vençam o mundial.

Antes mesmo de elas saberem o que vão fazer no campeonato mundial Emily chega a fraternidade. Emily é um legado, ou seja filha de uma das melhores Bellas. Ela chegar como uma nova oportunidade para as Barden Bellas.

Mas apesar de toda a empolgação que chegou junto com Emily, as Barden Bellas sabe o quanto seja difícil vencer os alemães da Das Sound Machine. Um grupo tão disciplinado e talentoso que intimida até a tão destemida Beca que acaba ficando balançada com a presença do grupo alemão.

Com todas as alternativas quase esgotadas, as Barden Bellas recorrem a antiga bella Aubrey que se formou no ano anterior para que elas possam encontrar sua harmonia novamente, o que é uma das cenas mais lindas do segundo filme, quando todas elas cantam Cups (When I'm Gone) ao redor da lareira e de certa forma se reconectam.



A Escolha Perfeita está longe se tornar um clássico como Os Miseráveis, mas traz consigo uma bagagem cultural incrível. Rompe inúmeras barreiras com a presença de Fat Amy (Amy Gorda), mostrando que aparência é irrelevante, da mesma forma que mostra quanta coisa linda pode surgir quando se unem pessoas diferentes.

Música sempre emociona quem ama a mensagem que ela traz, e com certeza as músicas cantadas em A Escolha Perfeita foram de tirar o fôlego e roubar lágrimas, a melhor coisa que podemos sentir o amor através de uma canção, e é isso que as Barden Bellas fizeram nesse filme.

A Escolha Perfeita 2 estreou nos EUA no dia 15 de maio e chegará ao Brasil em agosto.


Share this:

Um comentário :

  1. Só assisti o primeiro ainda, quero muuuito conseguir me segurar e ver o segundo só no cinema, esse filme vai ser top *oo*
    Beijão!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes