Crítica | Orange Is The New Black 2ª Temporada


Um dos maiores sucessos da Netflix teve uma segunda temporada maravilhosa, mas que muitas pessoas pessoas não gostaram muito pela pouca participação de Laura Prepon, uma das protagonistas. O que não vai acontecer na terceira temporada, já que ela confirmou participação em todos os episódios que vão ao ar dia 12 desse mês.

Piper depois de se adaptar a vida na prisão ganhou uma inimiga, e depois de se impor ao conselheiro ganhou também um inimigo. Sem saber ao certo o que aconteceu Pennsatucky ela é colocada dentro de um avião rumo a uma prisão de segurança máxima o que a faz ter certeza que matou Pennsatucky.

Lá ela encontra Alex em um dos três episódios em que ela aparece, e é orientada a mentir no julgamento. Mesmo em dúvida sobre o que vai ou não falar ao juiz, Piper acaba fazendo o que Alex pediu. Mas ao contrário de Piper, Alex conta a verdade no tribunal e sai em liberdade condicional, pena que Piper ainda vai encontrar uma forma de trazê-la novamente.

Saindo do núcleo caucasiano e partindo ao núcleo negro da série com a chegada de Vee, a tutora, e uma mãe para Taystee, ela já chegou colocando todo mundo em seu devido lugar, e se impondo como a nova "líder" de tudo.

Inimiga declarada de Red ela vai fazer de tudo pra destruir o império construído pela russa. Vee explora o amor de Taystee em um nível extremamente elevado, e colocar a Crazy Eyes como sua cão de guarda, explorando sua fraqueza mental.

Uma série que explora muito do que acontece nas prisões americanas de uma forma leve, mas que em outros inúmeros momentos nos faz cair em lágrimas, quando voltamos no tempo e revivemos a vida de muitos daqueles personagens, que claro já se tornaram parte da nossa vida.

E se vocês como eu estão ansiosos pela 3ª temporada de Orange Is The New Black, não percam o lançamento dos 13 episódios no dia 12 de junho na netflix, e pra já irem entrando no clima:


Share this:

Postar um comentário

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes