Artigo | Porque Ler Harry Potter?



Não é novidade que Harry Potter foi o herói de uma geração.  Minha geração cresceu ao lado de Harry, Ronny e Hermione, e até hoje muitos aguardam a tão esperada carta de Hogwats, o que normal se levarmos em conta que muitas delas estão atrasadas uns bons 11 anos.

Muitas das crianças que nasceram nos últimos anos conheceram Harry Potter através dos filmes, e são raras aquelas que desejam algo além do filme. Os livros sempre foram aguardados com uma ansiedade fora do comum, filas enormes se estendiam na porta de livrarias apenas pra conseguir um exemplar. A lembrança por trás disso é tão nostálgica quanto bela. Muitas das livrarias que tiveram suas portas transbordando anos atrás nem que sequer existem nos dias de hoje. Inúmeras crianças liam os livros emprestados de amigos ou da biblioteca da escola. Os livros nunca foram baratos, mas na época eles bem mais caros do que são agora.

Muitas pessoas, adultos e até mesmo crianças da geração Harry Potter não conseguem entender o porquê de tantas pessoas amarem o mundo bruxo, pobres trouxas, vivendo em um mundo sem graça, porque acreditar em magia é muito difícil pra eles. Acontece que eu, como todos os Potterheads  querem que a nova geração viva e respire Harry Potter como aconteceu com a nossa geração. Então hoje eu estou aqui pra falar o porquê seu irmão,  primo, filho, cunhado, enfim, o porquê que toda sua família inclusive você precisam deixar de serem trouxas pra se tornarem bruxos.

Que tal começar por números, nada demais apenas os números que mostram o nível de sucesso alcançado por Harry Potter. Ai você pode pensar, mas porque eu quero saber dos números de Harry Potter? Porque depois de ver esses números você vai querer saber o porquê de serem tão altos.

Arredondando os valores, foram 250 milhões de exemplares vendidos por todo o mundo. J.K Rowling já chegou a receber mais de 200 milhões de dólares por ano e sua obra já foi traduzida pra mais de 60 idiomas, entre eles estão as edições em latim, grego clássico e gaélico além de circular por mais de 200 países. Escreva Harry Potter no Google e você terá 7,7 milhões pra pesquisar. Impressionante certo? Agora vamos começar e entender o porquê que todos devem ler Harry Potter.

1.       Hogwarts;

A história em si se passa quase que completamente na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, e por mais que pra muitos achem isso um tanto quanto surreal, a identificação com o ambiente e com os personagens é quase instantânea.

As diferenças pra nós brasileiros começam desde o momento que percebemos que Hogwarts é um colégio interno. E as diferenças começam a se ampliar de acordo com as instalações da escola.

Hogwarts é divida em quatro casas, que vocês podem associar as fraternidades das universidades americanas. Essas casas funcionam como grandes equipes, elas são: Grifinória, Corvinal, Lufa-Lufa e Sonserina. Os nomes em sua escrita original trazem segredos que não puderam ser mantidos após as traduções. Gryffindor é comumente associado ao “grifo”, um animal com asas de águia e corpo de leão que protegia um tesouro. Raveclaw tem raven, “corvo” e claw “garra”. Hufflepuff tem huff que significa “acesso de cólera”.  Por último a mais amada das casas Slytherin que começa com sly “astuto” ou “fingido”. Cada casa tem um nome especial e carrega nele um segredo, coisas devidamente pensadas por J.K.

No sentido mais amplo, Hogwarts funciona como um mundo paralelo, e nesse mundo podemos inventar uma vida a cada dia; em Hogwarts nascem amizades imortais, aprende-se o valor dos livros, lá você descobre o seu papel em uma equipe se conhece a confiança e a traição, a felicidade e o medo. Quem diria, mas não é assim que realmente é uma escola? Com esse motivo você começa o primeiro livro.

2.       Fantasia;

No total são quatro protagonistas, o tão mencionado Harry Potter, órfão e criado por seus tios estúpidos, Rony Wesley atrapalhado, e escudeiro fiel de Harry, Hermione Granger pelo lado das meninas com toda sua inteligência e senso de justiça, e pra encerrar Draco Malfoy o filhinho de papai, antagonista de Harry e membro da Sonserina. Eles são apresentados no momento em que estão a caminho da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, cada um com seus materiais, capa, caldeirão, varinha, livros enormes e bichinhos de estimação nada convencionais como as belas corujas.

Nesse ponto chegamos a um dilema. A premissa básica de Harry Potter  ofendeu muitos cristãos e rendeu longas discussões sobre o ataque que Harry Potter fazia a civilização cristã (me poupe), como se a história estivesse trazendo uma conspiração para implantar a bruxaria em todo o mundo. Mas nada disso é real, é verdade que o universo Potter investe em uma versão mágica do mundo, e nosso mundo não foge em nenhum momento desse universo, e podemos presenciar isso através dos fundadores de cada casa.  Salazar Slytherin acreditava que apenas bruxos de nascença mereciam está em Hogwarts, já Grodric Gryffindor pensava o oposto, ele dizia que todos que possuíssem talento deveriam ser acolhidos sem distinção de origem. Miscigenação.

A fantasia que Harry Potter nos dá é uma vida de mão dupla, de um lado o misticismo da bruxaria e do outro uma dose extremamente forte da nossa realidade. A saga não nos tira do chão em nenhum momento, a história é uma fantasia criada a partir do nosso mundo, a fantasia típica do espírito de uma criança, e que oferece um caminho seguro para ela transitar enquanto descobre os desafios da vida real.

3.       Sexo e um pouco de poções;

Calma ai, antes de tudo Harry Potter anda longe daquele trio “sexo, drogas e rock n’roll”. A saga é bem mais que isso, mas não deixa de abordar elementos que fazem parte do interesse de todos, a começar pelas crianças e adolescentes. Existem drogas sim, mas todas estão relacionadas aos estudos, plantas com poderes incríveis e que misturadas com poções auxiliam na finalização de inúmeras tarefas. A minha favorita é a polissuco.

Já o sexo está em todo lugar, mas só é observável para aqueles que o procuram. Em Harry Potter e a Pedra Filosofal que correspondem as 11 e 12 anos, as crianças mal se aproximam. Mas isso não impede que questões relacionadas à sexualidade sejam abordadas através dos personagens.

Ainda falando sobre o primeiro livro, existe um momento em que Harry, Rony e Hermione caem sobre o Visgo do Diabo, a planta se entrelaça em cada um deles, prendendo seus braços e pernas, e é ai que Hermione pede calma e tranqüilidade pra os outros dois. O que basicamente reflete no comportamento feminino em relação aos homens, quando nós mulheres passamos anos tentando fazer com os homens saibam que é importante nos ouvir.

No segundo livro Hermione pede pra fica sozinha quando toma a poção polissuco feita com um pelo não humano, e fica com muita vergonha ao tentar lidar com todos aqueles pelos no rosto. No terceiro livro (meu favorito) Harry tem sensações estranhas ao se aproximar de Cho Chang. No quarto volume da saga Hermione vai ao baile com Viktor Krum, o queridinho das meninas e astro do quadribol – para tristeza de Rony. Enfim, sexo está em basicamente tudo, e sua presença no livro é mais que justificada, afinal J.K está fazendo literatura, que nada mais é que uma representação da vida humana.

4.       A Escrita de J.K

Harry Potter apresenta todas as características de uma boa literatura, começando pelo próprio Harry Potter um garoto que é um grito pra ficção. Perdeu os pais ainda bebê, mora os tios que o odeiam, e carrega uma marca na testa como recordação do passado do qual não lembra. Vivendo sozinho ele descobre aos poucos o seu talento, mas terá a chance de descobrir sua real vocação.

Todos os outros personagens, assim como Harry são completamente nítidos, o que ajuda ao leitor que não gosta ou não percebe muito bem as sutilezas. Mas isso em nenhum momento tira a credibilidade de nenhum deles. No decorrer da saga os ditos personagens “bons” se aproximam do mal, correndo riscos reais. Os adultos presentes na trama – pais e professores – tem suas virtudes e fraquezas. Já os considerados vilões, possuem um talento que é admirado até pelos bons.

Os adultos do universo criado por J.K são os adultos típicos do nosso mundo, vivendo de mesquinharia, dúvidas, bravura  e senso de justiça. Sempre esperamos um desfecho feliz pra Harry e seus inúmeros aliados, mas no decorrer da história semeamos a dúvida sobre se essa felicidade é realmente possível.

Além de tudo isso existe o fato de a história sempre ser cercada de mistérios, seja para encontrar a Pedra Filosofal ou para descobrir o Prisioneiro de Azkaban. J.K tem uma narrativa encantadora, mantendo sempre o ritmo. Ele carrega em sua história os componentes essenciais a uma boa literatura, lidando com lendas ancestrais e sabedorias milenares, e focando na vida de Harry, fazendo com que você leia despreocupadamente cada trecho, como um filme.

5.       Ensinamentos;

São tantos os ensinamentos que nos são dados no decorrer dos sete volumes que é praticamente impossível mencionar todos nesse espaço tão pequeno.

Harry Potter cresceu oprimido pelos tios, depois que ingressa em Hogwarts ele começa a caminhar rumo ao seu próprio destino. Seu caminho não é dos mais fáceis, e chegando a escola ele precisa passar pelo chapéu seletor pra poder descobrir em que casa irá ficar. Então mesmo depois que o chapéu diz que ele seria capaz de coisas incríveis na Sonserina, ele prefere a Grifinória. Abrir mão de um poder que nas mãos dele seriam praticamente ilimitados, para continuar seguindo o caminho certo.

Em Harry Potter não existe um lado bom e um lado ruim, o que existem são pessoas, propensas a trocarem de lado a qualquer momento. Na saga J.K traz coloca os dois acima de qualquer coisa, o bem e o mal, o certo e o errado são comuns na vida e estão misturados nela, cabe a cada um de nós lidarmos com cada uma delas e a cada momento estarmos preparados para as conseqüências dos nossos atos.

Os valores morais estão sempre constantes na história. O valor dos estudos e dedicação está acima do comum, incluindo o comum da própria magia. O sentido real da amizade, especialmente para os considerados fracos. A perseverança na busca pelos objetivos sempre em sintonia com as intuições.

O que vale é a coragem, a lealdade, e a camaradagem. Não importa sentir aquela vontade de colar na prova, ou bater de frente com algum adulto. Todos gostariam de viver ao menos uma parte da vida de Harry, verdadeira e inesquecível. Em mundo como o nosso, onde os ensinamentos atuais são tão banais, a vida de Harry Potter é nosso lugar seguro.

6.       Mercado;

O mercado do mundo ama Harry Potter. O romance que deu origem aos filmes também deram origem a um número incrivelmente grande de apetrechos que todo mundo quer. O dinheiro que circula no mundo por conta de Harry Potter é tanto que chega a ser incalculável.

Anos atrás quando os livros entravam em pré-venda juntavam milhões de crianças em busca do novo volume. Artigos cinematográficos, escolares, editorial, tudo surgindo junto a cada novo lançamento.

Mas por outro lado, não existe nada nos livros que induza o consumo, ou faça o leitor pensar que consumo traz felicidade ou que dinheiro é a solução pra tudo. Dessa vez o exemplo ultrapassa Harry Potter e chega a J.K, a britânica que chegou a fama depois de muita insistência. Em 1994 a singela professora Joanne, formada em francês e latim e recém-separada, trabalhava na Anistia Internacional, e nas suas folgas escrevia a história de Harry Potter na mesa de um bar.

Depois de inúmeras recusas, J.K conseguiu enfim publicar Harry Potter, e com ele chegaram as doações a entidade beneficentes em várias partes do mundo. E mesmo com toda a propaganda feita através do cinema, a maioria dos fãs de Harry Potter prefere os livros aos filmes, o que prova que quando algo é bem escrito, não sucumbe nem ao mercado cinematográfico.

7.       O Herói;

Harry Potter carrega um segredo, o segredo que está escondido no mais profundo de cada um de nós. Uma parte que nos torna os indivíduos que somos, e através da jornada dele conseguimos enxergar um garoto saindo da condição de ser vivo para se tornar um homem.

Um enredo complexo, com personagens de todos os tipos, mundos paralelos, e tudo ligado por um mundo mágico. Famílias diferentes, uma escola com centenas de alunos, um herói que se torna especial por ser um bruxo, mas que se parece muito com cada um de nós, que carrega dentro de si virtudes e fraquezas, coragem e um medo aterrador.

Harry Potter é nossa estrada da infância a juventude, nos guiando ao termino de cada volume, sempre mostrando sabedoria, solidariedade, coragem, lealdade, astúcia e amizade contra todas as tendências destrutivas do nosso mundo.


Harry vive uma vida que começa com a morte dos pais, na inocência de uma criança, vai acolhendo aos poucos vai conhecendo as etapas do amor, da ciência, da vida. Tensões, mistérios, lições, magia, fantasia, vida, tudo isso nos foi dado por uma mulher que até encanta o coração de pequenos leitores, e continua cativando o amor de todos os outros que cresceram enquanto ela escrevia a história que embalou nossas noites e continua na nossa vida.

Share this:

Postar um comentário

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes