Review | Pretty Little Liars - Songs Of Innocence



Voltar pra casa depois de um seqüestro traumatizante não é coisa fácil pra ninguém, principalmente para nossas Liars que viveram um verdadeiro inferno com a ajuda de Charles.

Já no começo do episódio vemos as meninas conversando no hospital sobre Andrew e Charles ser a mesma pessoa. Mas no decorrer da conversa, a mente brilhante de Spencer já diz que elas não devem mencionar o nome de Charles pra polícia. Não consigo entender o porquê é tão importante não contar certas coisas pra polícia. Alguém avisa a elas que elas  podem morrer por causa disso? Obrigada. Mas logo depois a mesma Spencer diz que a polícia vai acabar descobrindo que Andrew e Charles são a mesma pessoa. Se a polícia vai descobrir em algum momento, porque não ir contar logo querida?

Chegamos a um mesmo momento da série, aquele momento que tem em toda temporada quando dizem que alguém é A e ela não é. Isso está acontecendo com Adrew. É obvio que ele não é Charles, assim como Paige não era o betrayer na terceira temporada, mesmo quando todas as evidências apontavam pra ela. Aconteceu a mesma coisa na quarta temporada quando fizeram tudo pra que acreditássemos que Ezra era o Big A. Já na quinta temporada Mike também não era “A” (novidade) e nem ajudava “A” de alguma forma como nos fizeram acreditar. Isso tudo sem contar Mona com cara de morta no porta-malas do carro e olha onde ela estava. Então não, Andrew não é Charles. Conformem-se. Até nosso querido Toby comenta que está desconfiando da culpa de Andrew porque tem muitas evidências apontando pra ele, além disso, ainda tem o tom de dúvida de Sara quando pergunta a Emily que elas têm certeza de quem Andrew é.

Vamos falar sobre Sara. No começo do episódio, Emily movida por sua curiosidade sem fim, vai até o quarto de Sara no hospital e acabou sendo vista por ela, iniciando uma conversa. E isso nos leva ao episódio “4x14 – Who’s in the Box?”, o único episódio da série que menciona Sara.

Naquela época as Liars estavam tentando descobrir quem a garota que foi enterrada no túmulo de Ali. Então Hanna após uma pesquisa encontrou o caso de Sara. A garota havia desaparecido na mesma época de Ali, e possuía as mesmas características de Ali, como cabelos, altura e cor dos olhos. Procurando saber mais sobre a garota, Hanna e Emily foram em busca de Tina e Claire, amigas de Sara, e descobrem que a garota desapareceu um dia depois do Labor Day, ou seja um dia depois da festa no celeiro dos Hastings. As garotas contam que Avery (a outra garota do grupo) foi a última a ver Sara antes do desaparecimento.

Algumas cenas depois, Sara foge para a casa dos Fields, já que Emily é sua liar mais próxima.  Chegando lá ela conta que sua mãe não ficou tão feliz com seu retorno, porque antes as pessoas a tratavam com carinho e se preocupavam com ela, mas com a volta de Sara tudo isso acabou.

Agora vamos falar individualmente de cada liar, começando pela mais chatinha (não gosto dela mesmo), Aria, que está bem chateada com o fato de Andrew ser o grande responsável pela Dollhouse, e o que ela mais quer é poder dar um fim a esse pesadelo. Então ela resolve mentir no depoimento pra polícia (troféu genialidade pra ela, por favor), até entendemos que ela quer dar um fim a tudo isso, mas ela fez exatamente o que “A” queria que ela fizesse, culpando Andrew e deixando Charles fora do radar.


Nosso geninho, Spencer está voltando aos poucos aos seus antigos vícios em comprimidos. Se na quarta temporada ela precisava de anfetamina pra não dormir, agora ela precisa de anti-ansiedade pra ver se consegue pegar no sono, que vida essa da Spence. Mal volta pra casa e já começam as discussões com sua adorada mãe, o que pra Spencer é a real prova de que esta em lar doce lar.

Já na casa da minha liar favorita, Emily começa a direcionar seu medo para armas de fogo do seu pai. Ela e Pam brigam por conta disso, e o clima na casa fica bem pesado. Mas além das cenas de briga entre as duas, a melhores partes se resumem a Em no clube de tiro, foi muito bom ver a Emily em sua versão badass.

Hanna, a mais estressada de todas, se tornou bem chatinha nesse episódio, começando pelo tratamento nada doce e completamente desnecessário com Caleb e Ashley. A mudança do quarto continua indo muito bem obrigado, apesar de eu achar que ela ficaria bem mais segura se ela mudasse de estado e não de quarto.

Outro ponto que vale ser ressaltado é que enfim Alisson se tornou uma liar de verdade, e ganhou até sua própria storyline, interagindo com outros personagens além das quatro meninas. Sua primeira cena é quando ela confronta Kenneth sobre Charles, e ele mostra o quanto sua filha herdou dele mentindo com aquela frase maravilhosa “no Charles Dilaurentis in this family”. Como a linha entre o amor e ódio é algo bem tênue, meu amor por ela acabou no momento em que Lorenzo apareceu e a palhaçada começou. Mas vejam bem, não tem nada a ver com ele, o fato é que o garoto surgiu do nada e já vai se envolver com a Ali? Oi? Sem falar nas cenas completamente forçadas entre os dois, quem sabe daqui a 20 episódios melhore, mas esse clima de namoro entre os dois é ridículo. E eu como fã de Emily Fields fiquei extremamente decepcionada com isso, afinal o que foi aquela cena da quinta temporada em  “5x5 Miss x 100”,  quando Ali fala pra Em que também tinha sentimentos por ela, e que os beijos não eram apenas pra pratica? Daí agora eles agem como se aquela cena nunca tivesse existido? Coerência perdeu-se entre uma temporada e outra, okay.

A última cena  mostra as liars conversando no celular falando sobre a fuga de Sara da casa dos Fields e na delegacia Andrew sendo interrogado e visivelmente exaltado. Também pudera você ser acusado de ser um seqüestrador psicopata não deve ser nada agradável.


Espero que tenham gostado, e esperem por mais, qualquer dúvida falem chamem no twitter (@AnglicaMichelly), mas me poupem de spoilers por favor. Então é isso, obrigada e até a próxima.

Share this:

Postar um comentário

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes