Pena & Tinta | Nostalgia

Já passa das quatro da tarde, pego meu cobertor e uma xícara de chocolate quente enquanto caminho até minha varanda. Sento-me em minha poltrona favorita enquanto observo o mar dançando com toda sua beleza, refletindo a luz do sol que aos poucos começa a se pôr, tocando uma canção que me é tão familiar.  A maresia inunda meu olfato e um sorriso surge em meu rosto.

Recordo-me que anos atrás eu não costumava ficar sentada em poltronas enquanto observava o mar. Eu gostava de sentir meus pés na areia, de correr sem rumo enquanto minha irmã tentava de todas as formas resgatar sua caçula que vivia feliz demais.

Depois de um dia repleto de aventuras na praia ela me levava de volta pra casa, tomávamos um banho que na época era tão divertido quanto correr na praia, e dormíamos por horas sem nenhum tipo de preocupação.

Quando acordávamos com o sorriso encantador de nossa mãe descíamos as escadas quase nos jogando no último degrau, vivíamos em uma eterna competição de quem chegava primeiro em tudo, ela sempre ganhava, e quando eu ganhava era porque ela tinha deixado, pra me fazer mais feliz.

Depois do jantar eu ficava dentro do quarto dela por um bom tempo, ela nunca foi uma irmã chata. Sempre me deixava passar boa parte da noite com ela, e sempre me mostrava os livros novos que tinha na prateleira, e sempre me contava como era uma festa de verdade, com todos aqueles adolescentes reunidos em só lugar, prontos para destruir tudo.

Certa vez ela pediu que eu fechasse os olhos e colocou seu headphone em meus ouvidos enquanto a música começava em seu ritmo compassado. Nirvana, lithium era essa a música. Quando abri os olhos com a música ainda tocando alto o suficiente para que ela escutasse sem precisar colocar o headphone, vi que ela me encarava e dublava a música de acordo com as palavras de Kurth Cobain.

Agora, sentada aqui e observando toda essa paisagem iluminando cada parte dos meus olhos, consigo enxergar o quanto tive uma infância mágica. Era exatamente isso que parecia naquela época e é exatamente assim que se parece agora.

Nem sempre pude ter o que queria, mas sempre tive o que precisava, e devo grande parte disso a minha mãe a minha irmã, que fizeram da infância uma das épocas mais especiais da minha vida.

“O que você está fazendo ai?” levanto os olhos para ver que minha irmã se juntou a mim na varanda e começa a observar o mar como eu. “Lembrando” respondo, e ela sorri. Depois de tantos anos juntas não são necessárias muitas palavras pra ela saber exatamente o que estou falando.

“Isso é um pouco nostálgico não acha? Ficarmos sentadas aqui observando essa praia?” Faço que sim com a cabeça, e uma lágrima desce pelo meu rosto. Então ela levanta e diz “eu vou chegar primeiro” e sai correndo rumo a praia, enquanto eu jogo o cobertor de lado e saio apressada correndo logo atrás dela, pode ser que ela me deixe ganhar.

Pena & Tinta é um projeto de escrita criativa com o objetivo de criar textos (crônicas, contos, poesias, relatos pessoais etc) mensalmente em cima de um tema predeterminado. O tema de junho foi Nostalgia, e se você quiser participar, é só acessar o grupo no Facebook :)

Share this:

2 comentários :

  1. Ai, que nostalgia gostosa. De todos os textos do Pena já postados esse mês até agora, acho que o seu foi o único que retratou uma lembrança boa e isso é muito bom, né?
    Consegui me colocar no seu lugar enquanto lia, me vi na praia, nas escadas. Tá ótimo (:
    Beijo

    www.blogrefugio.com

    ResponderExcluir
  2. No começo fiquei com o coração apertando pensando no pior, mas não tem final melhor do que esse que você escreveu! Também me lembrei da minha infância, especialmente nas praias com os meus irmãos! Como a Ceci disse, é uma nostalgia muito gostosa! <3 E amei esse trecho: "nem sempre pude ter o que queria, mas sempre tive o que precisava" Bjos

    Tici | www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes