Resenha | O Espadachim de Carvão - Affonso Solano




"No mundo real o cenário não favorece o herói"

Fantasia é o melhor gênero literário pra quem quer realmente fugir da realidade e mergulhar em um mundo com criaturas mágicas, heróis inusitados e aventuras capazes de deixar todo leitor incrédulo quando encara uma obra tão criativa.

Aos 4 ciclos de idade, Adapak foi levado até uma caverna onde conheceu seu verdadeiro pai. Lá ele aprendeu inúmeros fatos históricos, e as mais diversas línguas, mas nunca saiu da ilha que fica no Lago Sem Ilha, isso o tornou um garoto extremamente inocente que gosta de viver dentro dos livros de fantasia dos irmãos Tamtul e Magano.

Certo dia, o lar onde vive é atacado e Adapak precisa fugir para se manter vivo. Ao começar sua jornada em busca de respostas, Adapak se depara com um mundo totalmente diferente dos livros,  e sua inocência pode se tornar um problema um tanto quanto complicado pra ele.

"A tendência das pessoas inseguras é ferir ou afastar delas aquilo que não compreendem"

Perseguido por pessoas que desejam assassiná-lo, ele não tem ideia do que pode ter acontecido e o porquê de desejarem tanto sua morte. Mas apesar de toda sua inocência, Adapak é um espadachim excepcional, treinado nos Círculos de Tibaul e capaz de destruir a todos em um piscar de olhos.

Não é de hoje que o nome de Affonso Solano visita as mentes dos nerds de plantão. Mas agora nos trouxe uma história que carrega sua criatividade ousada, com criaturas de descrições tão fantásticas quanto à própria história.

Em vários momentos precisei de muita concentração pra imaginar tantas criaturas esquisitas, como seis, ou três braços. Seis olhos, três pernas. O mundo criado por Solano é maravilhoso, e se torna infinitamente encantador com a presença de Adapak, um jovem que deixa essa história tão linda quando sua inocência.

"Parto, mas deixo metade de minha alma contigo"


Share this:

Postar um comentário

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes